terça-feira, abril 11, 2006

Névoa

Andei olhando pela janela e há uma densa neblina sobre as coisas. As luzes dos postes espalham-se amarelentas pela névoa e posso quase tocar essa luminosidade. Ilusões geradas pelo ar. Comecei a pensar em Hamlet. Nada metafísico,apenas Hamlet. Minha irmã deseja ler a edição que tenho aqui. Afinal,todas as pessoas que não dormiram nos últimos 100 anos conhecem o "ser ou não ser". Pobre Hamlet.Ficou louco após mais de 5000 atores terem dito essa frase. Enlouqueceu também por não decidir matar o padrasto. Seria justiça divina ou vingança diabólica? Seu espírito soçobrou diante do dilema. Enquanto isso a velha toupeira sussurava:Jurai! Jurai! A alma do velho rei pedindo ao filho a vingança correta contradiz a opinião do principe sobre a incapacidade humana em avaliar os castigos do além túmulo. Não terá sido numa noite como a de hoje,nevoenta e silenciosa que a toupeira subiu do purgatório e escavou a sanidade do jovem dinamarquês? Espero fantasmas.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home