quinta-feira, abril 13, 2006

Foi ontem,mas ainda é tempo.

Foi ontem o aniversário de Fortaleza.Pois é,280 anos levando Sol a beira mar a virgem dos lábios de mel comemora seus anos com uma tropa de turistas vindos da Itália,Portugal e alhures num programinha suado,dentro de um inferninho qualquer. Nada contra. Fortaleza é maior "de idade",faz o que bem entende com seu corpinho bicentenário. Corpinho meio esburacado,cheios de sacos de lixo espalhados nas calçadas,umas cusparadas verdes escorrendo nos meio fios. A gente daqui adora uma cusparada densa,brilhante,catarrenta. Dá status cuspir longe essa porcaria.Se pegar no pé de alguém então é riso certo.Tão moleques os meninos... Almas interioranas acostumadas as largas paisagens sertanejas usam suas belas vozes pra gritar o nome do menino traquinas,pra chamar a fulana e desentupir o ouvido de qualquer um. Aqui se grita pra pedir silêncio. Se berra educadamente. Temos 2.347.000 pessoas buscando por uma cidade. Diabos é que a cidade teima em fugir deixando todos a ver navios. Claro que temos gente esperta que se aventura pela Europa dentro da bagagem de um narigudo branquelo. Principalmente mulheres sonhadoras,atentissímas as carteiras.Acabam virando putas no estrangeiro e voltam pra casa duplamente desonradas. Não é só um problema social. É de mentalidades também. Somente nos últimos 10 anos Fortaleza ganhou o nome de cidade de serviços. Aqui tinhamos todos os problemas de uma metropole e nenhuma de suas comodidades.Agora temos algumas. Cinemas,por exemplo. Há 10 anos passados só dispunhamos de 3. Dois fecharam-Um virou shopping center e outro depois de igreja,fechou definitivamente. Temos finalmente um sem número de salas de cinema. Ruim pra mim que detesto ir ao cinema.Quisera que fossem livrarias,cafés (temos pouquissimos),teatros (mas pra que peças?),museus...
Nas esquinas vemos bares e mais bares.Aqui se toma cachaça na veia. Quando tem jogo do Ceará e Fortaleza,as pessoas de bem não saem de casa.Guerra urbana no melhor estilo "salve-se quem puder". Sem contar a molecada solta,longe da escola. Dificilmente vejo grávidas pelas ruas,mas o número de meninos soltos é estupendo.Será gemulação? Como essa criançada vem ao mundo? Deve ser uma cegonha bêbada que aparece com essas carradas de crianças. Já falei dos sacos de lixo.Atenção especial ao assunto.Fui recentemente a Natal.Cidade limpa e bem preservada.Muito verde. Não gostei daquelas avenidas intermináveis,mas o lugar é limpo.Não vi papel,lixo nas ruas. Aqui,proh pudor- é uma infestação de sacos de lixo,em geral sacos plásticos de supermercados atulhando as calçadas. O pedestre tem que disputar espaço entre os sacos e os carros estacionados. Arrisca-se a ser atropelado ou a tropeçar num monte de porcarias. E ninguém acha isso ruim. Chegam os catadores,abrem os sacos e espalham a imundície. A praia de Iracema depois de um show parece a ruína de uma cidade. E cheira a urina.
Todos reclamam dos ônibus lotados.Ninguém age bem ao subir num deles. Deus nos acuda subir num grande circular as 18 horas. Ou num dia de festa. Parece uma floresta em polvorosa.
Eu reclamo muito de Fortaleza. Conheço o Rio de Janeiro,São Paulo,Belo Horizonte,Brasilia,Natal. Falo com propriedade das coisas daqui. Aborreço-me mais com o descaso,pois Fortaleza tem os meios de tornar-se realmente bela e não apenas uma propaganda besta da prefeitura. Cada cidade vive seus problemas e há mais deles com o passar dos anos. Meu receio é ver essa cidade onde passei grande parte de minha vida virar um esgoto onde ratos e gente não tem qualquer diferença.
É isso aí.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home