quarta-feira, agosto 30, 2006

Pyramid song

Hoje retirei-me do trabalho pra ver o pôr do Sol sobre a cidade.Do alto do prédio,aberto ao céu pude ver toda a cidade e seus prédios,o mar a direita,as montanhas ao sul e bem ao leste o Sol descendo como um disco. Sentei-me numa cadeira de praia e coloquei uma música pra ouvir durante a lenta descida do dia. Abri o amnesiac e escolhi Pyramid song. Uma música que faz doer velhas cicatrizes,tão perfeita e tão simples!
O céu sem nuvens foi mudando de cor e dourando a cidade,misturando o azul com outras cores até então escondidas.Lá embaixo o rio de asfalto recebia os carros em rápidos fluxos - gente indo pra casa,pedestres,ônibus lotados.Hora do frenesi começar,o mesmo movimento cotidiano,ondas de pessoas quebrando nas praias do tempo.Um dia tudo se dissipará.
A música veio e foi deixando uma saudade do Sol.Ouço-a tão pouco,por um certo pudor com meus sentimentos.Com as primeiras estrelas e a Lua crescente no céu por companhia tive nesse entardecer um raro instante de beleza,uma janela frágil atravessando a matéria do mundo e mostrando esferas insuspeitas.



I jumped in the river and what did I see?
Black-eyed angels swam with me
A moon full of stars and astral cars
All the things I used to see
All my lovers were there with me
All my past and futures
And we all went to heaven in a little row boat
There was nothing to fear and nothing to doubt

I jumped into the river
Black-eyed angels swam with me
A moon full of stars and astral cars
And all the things I used to see
All my lovers were there with me
All my past and futures
And we all went to heaven in a little row boat
There was nothing to fear and nothing to doubt

There was nothing to fear and nothing to doubt
There was nothing to fear and nothing to doubt

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home