segunda-feira, agosto 21, 2006

Divagando

Será que sempre criamos uma teoria sobre o modo de viver e somente depois o modus operandi,os métodos de fato de como viver? Não havia pensado nisso até um amigo colocar as coisas nesses termos. Uma longa conversa sobre o que diabos estamos fazendo e para quê.Que forças dispomos e até onde nos dominam. Há gente que objetiva o poder puro e a capacidade de mudar efetivamente a realidade dos homens. Para o bem e para o mal,estão aí espalhados pela Terra, julgando,beneficiando,contendo,matando,guiando. O que lhes apetece é fechar as mãos sobre a garganda do mundo,mesmo que pretextando sua máxima felicidade.Alías,mata-se muito em nome da felicidade,essa ideia feita pra atormentar os homens (Tolstoi). Há aqueles que desejam a visibilidade,o sucesso. Sentem no frenesi das massas a possibilidade de ... como direi,serem amados apesar de tudo. No final das contas,chamar a atenção de alguém para si afim de garantir a própria estabilidade de seu íntimo. Engraçado como nos outros estão nossos olhares.Não quero uma psicologia barata. Apenas pensar sobre,divagar sem compromissos.E sob o império de nossos objetivos,o quanto estamos dispostos a pagar? Que integridade pode-se arriscar no jogo das obsessões?
Imagino que justamente resida nesse risco diário o timbre dos nossos métodos. É no quanto cada um dá de si que a prática se revela.Para alguns a coisa é bem consciente,arquitetada em minúncias clastrofóbicas. Outros no entanto vão pelas linhas de força criadas por pequenos gestos,decisões atomicas.No final todos estão submetidos há um certo determinismo das condições iniciais ou em outras palavras,pelas promessas feitas a si mesmo e ao mundo. Reduzidos a reféns das circunstâncias? Espero que não.Tenho fé na unidade elementar humana chamada indivíduo. Nele está a chance de fazer diferente por um instante e dar-se conta disso. A verdade liberta os homens do jugo dos seus medos de forma limitada,mas um ganho é um ganho.
Começamos com a estrutura da vida,puramente teórica:Desejo assim pois tal coisa se encaixa nisso e naquilo,pois "x" está para "y" de tal maneira que... Palavras e palavras pra dar um significado maior as contingências e justificar os fracassos.Aos fracassos,pois o sucesso sempre será a glória daqueles que se "prepararam" pra isso,um prêmio pelo mérito e nunca um acaso feliz. Na derrota os homens pensam mais,deliberam suas atitudes passadas com ansiedade - na adversidade tornam-se profundos, por um tempo.
Qual é a maneira de deliberadamente viver melhor? Nisso os filósofos debruçaram suas cabeças e cada um deu o vaticínio que lhe agradava. Nesse momento só consigo pensar em Lisbon Revisited. http://www.revista.agulha.nom.br/facam15.html

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home