segunda-feira, junho 26, 2006

Dentro de um livro

Abri depois de uns 2 anos o livro de poesias reunidas de Bandeira."Estrela da vida inteira".Minha estrela,num dia de chuva.Chove tanto nesses dias.Com o desaguar,saio até a varanda,inclino-me para a rua,antebraços sobre o balcão.Respingos sobre o rosto e uma lembrança frágil de um poema,um trecho apenas. E com esforço,puxo pela memória o resto desse cobertor.A chuva desaparece e parto para os livros.Procuro e Estrela de Bandeira.Sinto sua cintilação apertada entre tantas outras,luzeiro acomodado em constelações enfileiradas.A página abre sem esforço.Leio e releio.Primeiro em pensamento,depois em voz alta."Daqui a trezentos anos/Não existirei mais."
Na minha "terra queimada",entre os homens ocos,sim "A poesia restabelecerá em mim o equilíbrio perdido./A poesia cairá em mim como um raio."
Não há aviltamento que não ceda diante dessas palavras.Como uma reza forte afasta de mim os inquilinos habituais da alma cética. Tanta gente mesquinha,apodrecida caminhando pelo mundo com sorrisos imundos e no entanto há Bandeira.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home